terça-feira, 23 de novembro de 2010

Os Tristes Caminhos de uma África esquecida!




Recebi esta mensagem de minha querida amiga Jô Ascari,que está em Angola, não pude deixar de postá-la aqui:


"Se puder de um pulinho aqui, em Luanda....e províncias...verás a tristeza mais profunda de um povo, que almeja e ostenta algo para apenas O PRESENTE
A CADA 3 mulheres, 2 tem HIV
homens podem ter qtas mulheres quiserem!"





Lá por exemplo um pão integral custa 40 dólares. A população não tem onde morar e nem o que comer? Pense numa economia que escravisa!


A população não tem acesso à eduação e vive numa cultura arcaica!




Devido à cegueira política de alguns ultra esquerdistas e da ambição desmedida dos representantes dos três Movimentos de Libertação, a vida dos angolanos, desmoronou-se.
A barragem hidroeléctrica que Cambambe fornece energia elétrica a Luanda e permite a irrigação das plantações de cana-de-açúcar.

Foi recentemente acabada de construir outra barragem hidroelétrica construída pelos brasileiros e com turbinas e restante material de origem russa. Ao que parece, não foi possível até há pouco tempo transferir essa energia para Luanda porque as linhas de AT não tinham capaciade de transporte ou porque a enrgia fornecida pela dita central seriam 100VAC incompatível com a de Cambambe.

A baía de Luanda, eternamente luminosa e elegante. O cartão-de-visita da capital angolana pouco mudou nos últimos trinta anos, mas, por detrás do postal, cresceu uma miséria colossal, deixando o poder político e económico literalmente cercado por musseques numa metópole de mais de 6 milhões de habitantes".

Os generosos amigos e camaradas da URSS, depois da barriga cheia e com a casa deles completamente desarrumada, deram o fora. Os mesmo aconteceu com os queridos "compañeros" cubanos (cerca de 50.000) quais aves de rapina sacaram TUDO o que puderam levar para a sua miserável Cuba deixando em Angola mais de 10.000 mortos. Angola teve de pagar milhões a Cuba pela sua "generosa ajuda" (internacionalidade) como dizia Fidel.

Tenho conhecimento que, actualmente há em Angola grande investimento estrangeiro que ajudará a repor as infra estruturas danificadas pela guerra como o Caminho de Ferro de Benguela e, sobre tudo, as estradas que atualmente estão um caos e outras coisas mais.

Foi a guerra civil que o MPLA no início moveu contra os outros partidos com a ajuda do almirante vermelho Rosa Coutinho e outros camaradas do MFA, que deram as armas e equipamentos do exército português e o pessoal que passou à reserva e permitiu desembarcar secretamente em diversos portos ainda muito antes da independência, equipamento bélico modernos provenientes da Rússia que tornou a vida impossível com a intencional guerrilha urbana em Luanda e noutras cidades para expulsar os outros partidos, apoderando-se depois dos bens que os patriotas e, defensores do povo, nunca tiveram competência para construir. Talvez os milhares de chineses que tem ido recentemente para Angola e, com cujo governo, fez recentemente contratos para a exploração de diamantes, ferro, cobre e outras matérias primas, vendendo-lhe 30% (?) da produção de petróleo,ajudem colonizando a terra mas, tal como o velho ditado que diz: "mudam-se as moscas mas a merda continua a mesma" só que desta vez para pior, porque eles nem sequer entendem.


Vejam nestas fotos como vive a gente que durante a guerra civil vieram do interior aos milhares e se refugiaram nos musseques vivendo na maior miséria. O que eles lucraram com a independência? Nada, porque a vida deles continua pior que antes e só alguns, os previligiados e kuribecas lucraram com isso. A população de Luanda atualmente é estimada em cerca de 6 milhões de habitantes quando em 1975 eram cerca de 600 mil. Hoje a praia do Bispo a água do mar tem cor negra por causa dos detrinos que nela são despejados.


milhares de crianças e adultos estropiados (cerca 30.000) pelos 18 milhões de minas anti-pessoais que colocaram à "balda" na mata, nos caminhos e até nos acessos às lavras




Infelizmente não há próteses para todos porque o dinheiro das riqueza de Angola é gasto para outros fins e o povo fica em último lugar. Essas mesmas crianças fazem as suas próprias próteses com pau e com o que conseguem tal como faziam os seus brinquedos.





Atualmente impera o descalabro como o mercado negro do Roque Santeiro num dos musseques de Luanda, onde se vende de tudo inclusivamente se cambia dinheiro com a complacência do Governo. A riqueza é só para uns quantos porque os cidadãos comuns continuam na pobreza.
Vi no site "Angola Ancontece" http://www.angolaacontece.com/index.php que ultimamente tem sido construídos bairros sociais (Projecto Nova Vida) para alugar ou vender a crédito a funcionários publicos e a particulares mas não me parece que a maioria dos cidadãos tenham posses para comprar ou pagar uma renda dessas habitações e, por isso, ficarão tal como estão nos bairros de lata. Foram também construídos na capital outros edifícios por firmas importantes para as suas instalações, hoteis e outros prédios de 20 andadares na Marginal mas tudo isso como é evidente só para os ricos. Noutras cidades de Angola têm sido construidos ou reparados alguns edifícios públicos e particulares mas levará ainda muitos anos para que Angola seja a mesma. As estradas principais continuam ainda praticamente intransitáveis entre as principais cidades excepto Lobito Benguela onde está sendo ou já foi construida por uma empresa portuguesa uma auto-estrada. Outras estradas então sendo também reparadas mas a passo de caracol.

Elas são as veias de uma nação e deveria ser uma das primeiras prioridades dos governantes mas alguns deles e seus familiares estão bem mais interessados em enriquecer do que com o bem estar do povo. Algumas linhas férreas já foram e outras estão sendo reconstruídas como a antiga linha CFB Lobito - Luau, do Namibe e esta sub-urbana Luanda-Viana. Mesmo assim, esta via sub-urbana deixa muito a desejar dada a excessiva lotação de um dos comboios (o mais acessível ao povo) com enorme perigo para os passageiros e a pouca regularidade dos comboios.


Textos extraidos do site http://pissarro.home.sapo.pt/angola.htm

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Uma reflexão sobre o PODER!


"Quando alguém vos mostrar os grandes e poderosos da terra e vos disser: 'Aí estão os teus amos', não lhe deis ouvidos. Se forem justos, serão vossos servidores; se injustos, vossos tiranos." (Félicité Robert de Lamennais)








"Há uma linha tênue entre a legalidade e a arbitrariedade!"

"Onde reina o amor, não há vontade de poder, e onde domina o poder, falta o amor. Um é a sombra do outro." (Carl Gustav Jung)


"O poder é violento quando é fraco." (Jaime Balmes)

"O poder sem moral transforma-se em tirania." (Jaime Balmes)

"Se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." (Abraham Lincoln)

"O poder corrompe. O poder absoluto corrompe absolutamente."
(John Emerich Edward Dalberg-Acton)

"O poder dos reis funda-se na razão e na loucura do povo; muito mais, porém, na loucura." (Blaise Pascal)

"Aqueles que procuram o poder absoluto, mesmo que eles o procurem para fazer o que consideram como bom, estão simplesmente pedindo o direito de forçar suas próprias versões de paraíso na terra; e deixe-me lembrá-los que eles são exatamente os mesmos que sempre criam a mais infernal tirania."
(Barry Goldwater)



"O homem como cientista é amoral. Só é moral como homem, não se preocupa se o que descobre vai ser usado para o bem ou para o mal. Como toda descoberta científica dá mais poderes sobre a natureza, ela pode aumentar o bem ou o mal." (César Lattes)

Casos de Mulheres queimadas com ácido no Paquistão

Em pleno século XXI, ainda existem casos chocantes e inacreditáveis como esses. Mulheres deformadas e queimadas com ácido. As imagens são chocantes, e bem que poderiam servir de alerta a esse tipo de impunidade.


Irum Saeed, 30 anos, no seu trabalho em Urdu University of Islamabad, Paquistão. Irum foi queimada na face, costas e ombros há 12 anos quando quando ela rejeitou um homem. Passou por 25 cirurgias plásticas.

Shameem Akhter, 19 anos, na sua casa em Jhang, Paquistão. Shameem foi violada por três rapazes que depois lhe atiraram ácido, três anos atrás. Passou por 10 cirurgias plásticas para recuperar das cicatrizes.


Najaf Sultana, 16 anos, na sua casa em Lahore, Paquistão. Com 5 anos, Najaf foi queimada pelo próprio pai quando estava a dormir, porque ele simplesmente não queria mais mulheres na família. Como resultado, ela foi deixada cega e depois abandonada pelos pais. Vive agora com familiares. Passou por 15 cirurgias plásticas.

Shehnaz Usman, 36 anos, em Lahore, Paquistão. Shehnaz foi queimada com ácido por um familiar devido a uma disputa familiar há 5 anos atrás. Passou por 10 cirurgias plásticas.






Shahnaz Bibi, 35 anos, em Lahore, Paquistão. Há 10 anos atrás foi queimada com ácido por um parente devido a uma disputa familiar. Nunca passou por cirurgias plásticas.




Kanwal Kayum, 26 anos, em Lahore, Paquistão. Kanwal foi queimada com ácido há um ano por um rapaz que ela rejeitou para casar. Nunca passou por cirurgias.




Munira Asef, 23 anos, em Lahore, Paquistão. Munira foi queimada com ácido há 5 anos atrás por um rapaz que ela rejeitou para casar. Passou por 7 cirurgias para recuperar das cicatrizes.







Memuna Khan, 21 anos, em Karachi, Paquistão. Menuna foi queimada por um grupo de rapazes que lhe atirou ácido para terminar com uma disputa entre a sua família e a família de Menuna. Passou por 21 cirurgias plásticas.






Zainab Bibi, 17 anos, em Islamabad, Paquistão. Zainab foi queimada com ácido atirado por um rapaz que ela rejeitou para casar há 5 anos atrás. Passou por diversas operações plásticas.





Naila Farhat, 19 anos, em Islamabad, Paquistão. Naila foi queimada na cara com ácido por um rapaz que ela rejeitou para casamento. Passou por diversas cirurgias plásticas.





Saira Liaqat, 26 anos, em Lahore, Paquistão, segura uma foto sua antes de ter sido queimada. Quando ela tinha 15 anos, ela foi casada com uma pessoa que depois insistiu muito que ela vivesse com ele. Como Saira disse que só se juntaria a ele depois de terminar os estudos, ele queimou-a com ácido. Passou por 9 cirurgias plásticas.

Fonte: Capitanbado.com

O litro de acido custa somente 30 takas (moeda local) o que o torna muito acessível.


Desde o Oriente Médio ate o Extremo Oriente vemos muito aparentemente o desrespeito pelos Direitos Humanos, pelo meio ambiente, pelas crianças, pelos animais e pelas mulheres.

Os paises onde as mulheres mais sofrem com ataques a acido sao: Afganistao, Paquistao, India, Cambodja e Bangladesh.
Na Índia os ataques por acido também são muito comuns mas em Bangladesh a incidência é ainda maior, a ponto de ter um hospital dedicado somente para isto, o Acid Survivor Foundation (Fundação das Sobreviventes de Acido) que fica na capital do pais, Dhaka.

Milhares de vitimas de ataque com acido encontram refugio e tratamento na Acid Survivor Foundation.
Dr. Ronald Hiles, um cirurgião plástico britânico aposentado tem prestado serviço voluntário já ha 2 anos no hospital. Ele faz o que pode nas precárias condições que o hospital oferece e com falta de recursos.

Dr. Hiles disse que a intenção dos criminosos nunca é a de matar a vitima, embora muitas delas acabem morrendo e ficando cegas; o que os homens querem é desfigurar a mulher de modo que ela fique emocionalmente abalada, humilhada e com vergonha pelo resto da vida.

domingo, 21 de novembro de 2010

Violência contra mulheres - Índice assassinatos de mulheres no Brasil é quatro vezes maior que média internacional

Violência contra mulheres - Índice assassinatos de mulheres no Brasil é quatro vezes maior que média internacional


Em uma parte do Mapa da violência 2010 realizado pelo Instituto Sangari com informações do Datasus é mostrado que dez mulheres foram assassinadas por dia em dez anos


Foram divulgados números a respeito do assassinato de mulheres no Brasil baseado em estudo feito pelo Instituto Sangari. A pesquisa foi feita com análise de dados do Sistema Único de Saúde (Datasus) nos anos de 1997 a 2007. Nestes dez anos, 41.532 mulheres morreram vítimas de homicídio o que é um índice de 4,2 assassinatos por 100 mil habitantes.

Segundo dados do instituto este estudo é um apêndice de um trabalho maior que está sendo realizado que é o Mapa da Violência no Brasil 2010.

As taxas de assassinatos femininos no Brasil são mais altas do que da maioria dos países europeus em que os índices não ultrapassam 0,5 por 100 mil habitantes.

Os que lideram a lista são África do Sul, com 25 assassinatos por 100 mil habitantes e Colômbia, com 7,8 por 100 mil.

O estudo mostra que algumas cidades brasileiras registram índices mais altos. Em 50 municípios, os índices de homicídio são maiores que 10 por 100 mil habitantes. O Espírito Santo ocupa o primeiro lugar, com índices de 10,3 assassinatos de mulheres por 100 mil habitantes.

Na pesquisa, São Paulo é o quinto Estado menos violento do Brasil, com índice de 2,8 por 100 mil habitantes.

Esta é uma maneira de manter metade da classe trabalhadora brasileira ser ainda mais oprimida e subjugada.

Desta maneira, a burguesia consegue amordaçar este setor importante, que são as mulheres, cerca de metade da população, para a mobilização da classe trabalhadora.

na falsa fé, a razão não consegue encontrar razões que a façam venerar a fé.






Sarkozy reconhece que a islamização da Europa é inevitável.



A ignorância dos políticos europeus acerca do islamismo brada aos céus. O islamismo não é uma simples religião mas antes uma codificação de um sistema de ordem, na medida em que mistura a dimensão temporal e espiritual do Homem através de um código de leis: a “Sharia”. O islamismo não é uma religião como outras que existem: é um sistema político que tem uma ideologia própria, tal como é o marxismo.

Numa entrevista à revista “Famille Chrétienne”, Philippe de Villiers relata parte de uma conversa que teve com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, em que este reconheceu que a islamização da Europa é inevitável. Em França, as primeiras igrejas católicas estão a ser transformadas em mesquitas.

A esquerda europeia é a coisa mais estúpida que pode existir. Ao mesmo tempo que defende que as mulheres europeias abortem “à fartazana” e promove o “casamento gay”, a esquerda estúpida (passo a redundância) apela à imigração em massa, nomeadamente dos países islâmicos. A esquerda europeia ou é suicida ou estúpida; na minha opinião, é estúpida, e “não há desculpa possível para a estupidez” [Eric Voegelin]. Podemos tolerar o erro humano; podemos tolerar a ignorância; mas a estupidez não tem tolerância possível.

Ontem vi na TV as imagens de um “espectáculo” de punição perpetrado por islamitas talibãs fundamentalistas do Paquistão sobre uma jovem mulher, acusada de adultério. Imediatamente passaram pela minha mente as palavras de Jesus sobre a mulher adúltera ― “quem não tiver pecados que atire a primeira pedra” ―, e ocorreu-me o “problema da fé”.



Sarkozy reconhece que a islamização da Europa é inevitável.

Aquela punição pública suscita o heureca ateísta: “Vocês vêem como nós, ateus e anti-religiosos, inimigos fidagais de todo o culto (excepto o nosso), temos razão?! A fé (dos outros) dá nisto!”

Existe, de facto, um “problema da fé”. Será que todas as “fés” são idênticas? Existe algum critério que diferencie uma “fé positiva” de uma “fé negativa”?

Alto-representante do Vaticano diz que “Alá é bom para a Europa”

A recente notícia segundo a qual o Cardeal Jean-Louis Tauran, alto-responsável no Vaticano para relações ecuménicas, agradeceu aos muçulmanos por terem “reconduzido Deus à Europa”, revela bem o que é a Igreja Católica hoje: um corpo desconexo e sem estratégia definida, um barco à deriva.

Se ― segundo afirmou o cardeal ― os islamitas fizeram com que a religião fosse hoje discutida mais do que nunca no domínio público europeu, não é pelas melhores razões. É surpreendente como o Vaticano não vê isso.

O Vaticano não tem o direito nem a razão quando tenta atribuir as culpas do esvaziamento dos templos católicos à separação entre o Estado e a ICAR, decorrente do Vaticano II que reconheceu a liberdade religiosa, a separação entre o Estado e a Religião, e que abriu caminho para que a Maçonaria se transformasse na nova religião dos Estados europeus.

Hoje, a “religião-de-Estado” na Europa é a religião niilista-maçónica, e só neste contexto de “revolta” poderei entender as palavras do cardeal francês. Porém, o seu discurso laudatório em relação ao Islamismo é um tiro no próprio pé, porque é sabido que a islamização da Europa é amplamente promovida pela própria Maçonaria como parte de uma estratégia a longo prazo de controlo do mundo islâmico ― aguardando-se o “último confronto” que oporá as forças do niilismo maçónico ao Islão, depois de destruída a ICAR. O Vaticano segue fielmente e de forma suicida o livro-de-instruções da Maçonaria.

TEXTOS EXTRAIDOS DO BLOG http://espectivas.wordpress.com



“Crimes de honra” : 1.109 mulheres assassinadas em 3 anos no Paquistão




O apoio da Esquerda europeia à “Aliança de Civilizações” é criminoso, porque prescinde da crítica à barbárie em nome da oposição ao cristianismo, ignorando os Direitos Humanos e os valores tradicionais da civilização europeia.



Nova Lei no Cairo

O Cheque Mohamed Al-Habdan lançou uma fatwa em que ordena que as mulheres islâmicas que usem o Niqab só podem mostrar um dos olhos, embora o Cheque não especificasse qual dos olhos a mulher islâmica fica autorizada a mostrar.

sábado, 13 de novembro de 2010

Mulheres sem Rosto! - Lei da Sharia -




Agora que o regime de Obama está tentando, não tão secretamente, fechar acordos com os terroristas talibãs, a vida das mulheres afegãs nunca esteve em tão grande perigo
Do blog BARE NAKED ISLAM








Os talibãs esmurraram a porta por volta de meia-noite, exigindo que Aisha, de 18 anos, fosse punida por fugir da casa de seu pai. Aisha se defendeu dizendo que família de seu marido a tratava como escrava. Eles batiam nela. Se não tivesse fugido, teria morrido. Seu juíz, um comandante local do Talibã, não se comoveu. O cunhado de Aisha a segurou no chão, enquanto seu marido puxou uma faca. Primeiro, ele cortou fora suas orelhas. Depois, ele passou ao seu nariz.Isto não aconteceu há dez anos atrás, quando o Talibã controlava o Afeganistão. Aconteceu ano passado





Mas as afegãs temem que, na busca por uma paz rápida, seu progresso possa ser interrompido. "Os direitos das mulheres não podem ser o sacrifício pelo qual a paz seja alcançada," Para as mulheres do Afeganistão, uma retirada precoce das forças internacionais pode ser desastrosa.









Em um programa recente, um convidado contou uma piada sobre um grupo estrangeiro de direitos humanos no Afeganistão. Nas cidades, o grupo percebeu que as mulheres andavam seis passos atrás dos maridos. Mas na província rural de Helmand, onde o Talibã é realmente forte, eles viram uma mulher andar seis passos adiante.








Os estrangeiros se correram para parabenizar o marido por seu nível de esclarecimento [enlightnenment] - no que foram informados de que ele punha sua mulher na frente porque eles estavam andando em um campo minado. Enquanto a platéia caía na gargalhada, Jamalzadah refletiu que pode levar cerca de 10 a 20 anos até que as mulheres afegãs possam realmente andar ao lado dos homens. Mas quando isto acontecer, ela acredita que todos os afegãos se beneficiarão.








“Quando falamos dos direitos das mulheres," diz Jamalzadah, "estamos falando sobre coisas que são importantes para os homens, também - homens que querem ver o Afeganistão ir para frente. Se você sacrifica as mulheres para fazer a paz, você também vai sacrificar os homens que as apoiam e abandonar o país para os fundamentalistas que causaram todos os problemas, em primeiro lugar." TIME
Leia também:

http://leimariadapenha.blogspot.com/2009/05/mulheres-sem-direitos-no-corao.html

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Na Corda-bamba da Vida!




Costumo dizer que quando estamos muito tristes, com a alma triste até a morte, é como se estivéssemos atravessando um desfiladeiro em uma corda bamba. O que tem embaixo é um Abismo, e o que está acima é o Céu. Se você olhar pra baixo, você verá o Abismo.
O Abismo atrai o olhar, mas o Abismo é morte certa, e ao olhar para ele você pode entontecer e cair. Portanto, nunca olhe para o Abismo. Mas também não olhe para o Céu. O Céu é como um sonho, e ele pode estar belíssimo, muito azul, com um Sol radiante ou repleto de estrelas, não importa: não olhe para o Céu, por que de tão belo ele pode fazer você esquecer de que precisa manter o equilíbrio e seus pés bem firmes na corda.
Desta forma, eu te digo: o único lugar para o qual você deve olhar é para a frente, onde está o Horizonte. O Horizonte é onde está tudo o que você pode descobrir, viver e alcançar. Basta seguir em frente.

Se você olhar para trás, e não puder ouvir teus familiares e amigos, concentre-se em teus pensamentos, por que é na verdade o que você quer: Seguir em frente!Então apenas mire o horizonte.(Augusto Branco)




Se pular para um lado você morre,se pular para o outro,morre tambem!
Se ficar lá em cima vai morrer esperando, mas morrerá de qualquer modo!
Já pensou?

De um lado estão as ILUSÕES(que poderiamos chamar de SONHOS),que te enganam, te ludibriam e te embassam a visão.Pular pra este lado utópico seria um suicídio certeiro!Você esqueceria a realidade e quando desse conta disto você seria trucidado por ela!

Do outro lado da corda está a dura REALIDADE!Nossa amiga não nos poupa,corta fundo,atravessa....o coração e os demais orgãos que reagem às emoções.E cabup!!!você estaria morto em segundos!"Morto de tristeza e desilusão!

Ficar na corda bamba é cômodo mas cansa!
Não se sabe para que lado devemos pular...estamos no meio,desta confusão toda.Num lugar entre o coração e o cerebro....este lugar ínfimo que representa a garganta trancafiada,sem soltar o gemido que tanto precisamos libertar.O gemido da indigestão da nossa angústia frente a nossa incapacidade e nossa pequenês.

Eu pelo menos ainda estou tentando me equilibrar....mas até quando?não sei ,estou prestes a cair para algum dos dois lados.Provavelmente o da REALIDADE dura...que irá sugar tudo que um dia pensei ser verdade!

Enquanto isto espero por um milagre, que nem sei se virá.

O Que nos impede de AMAR?


A cada perda abre-se uma ferida,porque queremos possuir o que não se possui e queremos ser amados mas não amamos!
A ferida é uma vala profunda,um abismo, do qual nos afastamos a todo custo porque quando estamos neste abismo sabemos bem o que ele representa!


Será a DOR ainda pior que o AMOR?
Porque não conseguimos suportar amar sem pedir nada em troca?
Porque fugimos da dor,da dor de amar sem ser correspondido,de não poder possuir o objeto de nosso amor?
Porque a rejeição é tão dolorosa?Porque não conseguimos aceitar?
Porque se amamos queremos tocar,eternizar...mas é contraditório!Então será amor ou puro apego?
E a covardia combina melhor com o egoismo? E fugir da dor se torna mais suportável que sofrê-la, ainda que doa do mesmo jeito!
Apostar no escuro,quem consegue?
Se inventarem um antídoto pro amor e pra atração quero testá-lo mesmo que no fim acabe sendo inútil.Pelo menos hei de ter tentado!

Sobre todas as coisas: Em curtas vidas, nascemos e morremos sem viver


"Esperança é algo que já não tenho mais. Voou do varal numa noite qualquer. O mesmo varal onde pendurei minha fé. Voou também. Nem vi!”

“ Venta muito por aqui. Nada fica firme por muito tempo!”

Atire a primeira pedra quem jamais se sentiu só. E a segunda, quem, mesmo acompanhado, não esteve sozinho. “Somos companheiros da solidão do outro”, escreveu Oriah Mountain Dreamer.

Poucos não foram os poetas que escreveram a respeito da solitude concatenada ao amor – ou à ausência dele.
Olho os casais, depois da inebriante paixão, e não avisto mais que dois indivíduos sós, mas não isolados, compartilhando algo em comum .
Duas partes inteiras que se formassem uma seriam reduzidas pela metade!

Por outro ângulo, alguns pensadores viveram sozinhos por terem características intelectuais de tempos posteriores aos seus. Esses, como Leonardo da Vinci, sofreram de algo como solidão ideológica. Outros optaram por se isolar para encontrar Deus, como os monges retirantes. Em florestas e cavernas, buscam por outro. Também amam e estão sós!

Assim, penso que talvez as poesias relatem a verdade:”Por meio do amor eu me sinto só, ou tenho minha solidão acompanhada!”
No anonimato, esses monges têm outra forma de solidão que só pode ser curada com um entre todos – este que, ironicamente, está em todo lugar – ao contrário de mim, que me sinto só.

Se eu não sou feliz, nada pode me fazer feliz”, disse o mestre. Foi embora depois de olhar nos meus olhos para proferir: “Se você tem uma razão para me amar, eu não quero teu amor”. Mas eu só sei amar por razões pontuais – e inconscientes. Vexatório, mas ele está certo. Meu racional induz ao que chamo de amor.
Aqueles poetas românticos tinham razão. Digitada tais linhas, falta amor na vida desta que sou – que nem sequer sabe o que amar significa!
E que, na insanidade, acredita que, mesmo assim, sinceramente, ama todos os amigos e a família, assim como os deuses sobre todo o universo.



Daí brota a solidão que se ramifica por cada e toda faceta de vida minha. As escrituras se provam certas novamente. Elas falam do amor incondicional que nada sei a respeito e atestam que a ignorância é a raiz de todos os males, inclusive da solidão.

Somente água

Com maestria no Vedanta, ele me diz que me ama simplesmente porque realizou que si próprio é o amor. Diz para mim que, quando estou só, e peço por Deus sem vê-Lo, Ele é a solidão. Complementa ensinando a verdade universal de que nada existe além Dele. Eu nada entendo. Ele fala sobre ondas, mar e oceano.

Em Ras Sudr, no Egito, próximo ao mar Vermelho, sou abduzida pela beleza do oceano relembrando as palavras que somente ali fizeram sentido. “Sofremos porque conscientizamos a onda durante toda a vida.

Por esse prisma, questionamos o motivo pelo qual somos fortes ou fracos, grandes ou pequenos. Indagamos a respeito da praia que estamos, freqüentemente querendo estar em outras distantes. Durante nossa breve vida, não falta sofrimento.

Em curtas vidas, nascemos e morremos sem viver.

Em algum momento, descobrimos Deus, o mar!
Rezamos para que o mar nos leve às praias que queremos e nos transforme em uma onda diferente da que somos.
Um belo dia percebemos que a onda não está separada do mar. Nasce e morre nele.”

“E você sabe que não é nem onda nem mar?”

“Nada existe além de água”.

Como os grandes pensadores, sofro de solidão ideológica, mas, ao contrário deles, por falta de capacidade de compreensão.
Ainda rezo para que o mar me abençoe.
Mergulhada na água sinto a força do oceano, que é característica do volume da água em si.
“Sozinha, Ele é tua solidão.”



O mestre imortalizado em suas palavras. “Só água.” Entro no mar observando a onda acompanhada pelo mar. Sinto, então, a água alimentar minhas esperanças de realizar a vida além da forma de uma onda que penso ser; além do espaço do mar que interpreto estar sobre todas as coisas. Assim algo me conforta e a solidão parece existir somente neste holograma que os cientistas chamaram de universo e os hindus de maya. Essencialmente água. Só água.

Patrícia Varella.(BLog ELLAS)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

HERMANN HESSE:"O amor é o desejo que atingiu a sabedoria!"








Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo (...).

O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.

A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.

Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.

Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.

A felicidade é amor, só isto.
Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito.
Mas amar e desejar não é a mesma coisa.
O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.
O amor não quer possuir.
O amor quer somente amar.

Hermann Hesse


Mas o mundo não existe para ser melhorado. Nem nós! Estamos aquí para sermos nós mesmos.
Seja você mesmo e o mundo será mais rico e mais belo. Mas se voce não for isso, se for mentiroso e covarde, o mundo será pobre, e então necessitará de uma melhoria

Sábias palavras do escritor HERMANN HESSE

Hermann Hesse (Calw, 2 de julho de 1877 — Montagnola, 9 de agosto de 1962) foi um escritor alemão, que em 1923 naturalizou-se suíço.

Nascido no seio de uma família muito religiosa, filho de pais missionários protestantes (pietistas, como é típico da Suábia) que tinham pregado o cristianismo na Índia. Estudou no seminário de Maulbronn, mas não seguiu a carreira de pastor como era da vontade de seus pais. Tendo recusado a religião, ainda adolescente, rompeu com a família e emigrou para a Suíça em 1912, trabalhando como livreiro e operário. Acumula então sólida cultura autodidata e resolve dedicar-se à literatura.

Travou contato com a espiritualidade oriental a partir de uma viagem à índia em 1911 e com a psicanálise por meio de um discípulo de Carl Gustav Jung, em decorrência de uma crise emocional causada pela eclosão da Primeira Guerra Mundial. Estas duas influências seriam decisivas no posterior desenvolvimento da obra de Hesse.

Procurou construir sua própria filosofia, a partir de sua revolta pessoal (Peter Camenzind, 1904) e de sua interpretação pessoal das correntes filosóficas do Oriente (Sidarta), e em especial em O Lobo da Estepe (1927), que é também uma crítica contra o militarismo e o revanchismo vigente na sua terra natal depois da Primeira Guerra Mundial. Esta postura corajosa o fez bastante popular na Alemanha do pós-guerra, depois da desnazificação.

Em 1946 recebeu o Prêmio Goethe e, passados alguns meses, o Nobel de Literatura.
(Fonte Wikipédia)

AGORA AS MELHORES DELE:


"Nada lhe posso dar que não exista em você mesmo.

Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além

daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso

dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave.

Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo,

e isso é tudo!"

HERMANN HESSE


"Se você odeia alguém, é porque odeia alguma coisa nele que faz parte de você. O que não faz parte de nós não nos perturba."

Hermann Hesse


O homem é um ser ansioso pela felicidade; no entanto, não a suporta por muito tempo.

Hermann Hesse


Sem amor por si mesmo, o amor pelos outros também não é possível. O ódio por si mesmo é exactamente idêntico ao flagrante egoísmo e, no final, conduz ao mesmo isolamento cruel e ao mesmo desespero.

Hermann Hesse

Poema de Camões(acho q ele fez p mim!)


Poema de Camões para uma mulher:

Quem vê, Senhora, claro e manifesto
O lindo ser de vossos olhos belos,
Se não perder de vista só em vê-los,
Já não paga o que deve a vosso gesto.

Este me parecia preço honesto;
Mas eu, por de vantagem merecê-los,
Dei mais a vida e alma por querê-los,
Donde já não me fica mais de resto.

Assim que a vida e alma e esperança,
E tudo quanto tenho, tudo é vosso,
E o proveito disso eu só o levo.

Porque é tamanha bem-aventurança
O dar-vos quanto tenho e quanto posso,
Que, quanto mais vos pago, mais vos devo.

Luís de Camões