quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A Benignidade Divina - lições de um Mestre


E no silencio sentir a fusão do que existe e do que não pode ser medido,
De acordo com as palavras do Mestre!
Em que se possa conduzir humanamente o sentimento do todo

por vias que se elevam ate a majestade do silencio.
Eternizado na mente e no espaço,

ao mesmo tempo em que secula a eternidade do todo.
Santo se faz o que ao pai conduz seu pensamento e misericórdia

com a qual levara adiante a sua existência findando por acrescentar o tesouro maior de todos os povos que possam enaltecer a sabedoria divina de pleno conhecimento arraigado no céu e em toda a parte que se vê a criatura humana.
Doces são os sabores do vento da verdade

e da veia que pulsa no ventre da mãe terra

em que estas sobreposto aos valores dos homens.
E na calmaria encontras a promessa do teu Senhor

que te chama acima de todas as coisas.
A partir desta hora não és mais dono de si,

mas existe em função do amor e da caridade

em que os anjos te chamarão pelo nome

e na hora que precises confiara no amor eterno

que transborda sem força e sem euforia.
Alado nas cordilheiras do silencio

do teu ser e da eternidade
Brandura e força divinas

que ostentas em teu espírito!
A benignidade de Deus esta presente no ar que se respira

e no sol que se projeta por entre os céus e a terra.
Resplandecente de amor divino

e que penetra a toda a criatura por quem o senhor chama em sua bondade.

O amor de deus não é efêmero é transcendental

em toda a qualidade que se justifique como criador do tempo infinito.

Deus na sua misericórdia como um todo

e em toda a ciência da vida conspira para que as coisas sejam soberanas ao medo e ao fracasso. Deus te ampara para que sejas conduzido ate a morada que preparaste a ti,

senão que seria daqueles que sucumbem diante da majestade do todo poderoso

que criou ate aqueles que o renunciam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário