domingo, 16 de agosto de 2009

Sobre Canários e Sabiás


Algum tempo atrás me ocorreram muitos acontecimentos inesperados,coisas que nunca imaginei que pudessem acontecer comigo mas que serviram para saber de "que tecido sou feita" e vi que sou muito forte, tenho uma resistência danada mas vi também que estava tão presa a antigos padrões, me sentindo o patinho feio, rejeitada e tudo o mais.Tentando sempre ser a melhor para agradar a todos e nunca dizendo NÃO para sempre ter aceitação.Tentando DAR O MELHOR DE MIM sem sequer ver o que era o melhor PARA MIM. E depois tendo crises de estresse por causa deste comportamento.

Então contei minha estorinha para um amigo.

Esse amigo então me falou de canários e sabiás.

Disse que o canário passa a vida numa gaiola maravilhosa, com comida e água em abundância, veterinário e todos os cuidados necessários para cumprir sua nobre função: ser bonito de ver e melhor ainda de ouvir. O canário canta e encanta."PERFEITO!"

Onde existe um canário a vida é mais alegre. E eles são lindos, em vários tons de amarelo, branco, laranja...

Já os sabiás não servem para ser criados em gaiolas.

Sabiás não são tão bonitos, as penas não são tão coloridas e seu canto não chega aos pés dos canários. Sabiás não são graciosos como os canários.

E precisam lutar pela sobrevivência.

Em compensação, sabiás voam.

Voam alto, pousam nas árvores que querem, vão para onde querem e levam a vida em total liberdade.

Meu amigo disse que eu vivia a fase de canário e que um dia partiria atrás da liberdade do sabiá. Achei o conceito muito apropriado. E com o tempo fui percebendo como é verdadeiro.Porque sei que minha família sempre tentou(sem sucesso) me transformar num canário.Fui treinada para ser canário mas na verdade sou um SABIÁ- e dos grandes!

que pássaro maravilhoso eu descobri que sou, minhas asas são enormes!

Os – canários – têm treinamento,paciência e preocupação em suportar a gaiola, a rotina do dia-a-dia, a obrigação de cantar sempre, pois afinal...é isto que esperam dele! E ele sempre está preocupado em cantar lindamente,em dar o melhor que esperam dele!


Para o canário, cantar é o objetivo da vida, mesmo que para isso ele tenha que colocar sua felicidade de lado. E, quanto mais alto e mais melodioso for o canto, mais valioso ele será, mais terá seu valor reconhecido. Não importa se numa gaiolinha, gaiolão ou viveiro!

Mas a maturidade traz outras prioridades.
Cantar alto e melodioso deixa de ser objetivo para ser conseqüência. Sou feliz?
A maturidade mostra que, por mais técnicos e hábeis que sejamos, cantamos melhor quando estamos felizes. E a felicidade só é plena quando existe liberdade.


Liberdade de pensar, de realizar, de sermos nós mesmos, sem disfarces!


Liberdade de ser você mesmo sem precisar seguir os roteiros e padrões da comédia humana.


Para algumas pessoas – eu, por exemplo – o atributo mais importante que desaparece com a maturidade é a paciência.Quanto mais experiência, menos paciência. Queremos resultados. Queremos voar. Ver o mundo de cima. Queremos prazer. Queremos crescer. Queremos ousar. A segurança da gaiola, os alimentos fartos, os cuidados médicos passam a ter um custo altíssimo: a liberdade.
Pois bem. Acho que agora estou deixando de ser canário para virar sabiá.


Depois de 40 anos querendo agradar os outros, me importando com o julgamento alheio, querendo ser sempre certinha...abro a porta da gaiola para enfrentar o mundo lá fora.


Meu vôo solo.


A primeira coisa que chega é aquele frio no estômago, sabe?


Mistura de ansiedade com medo. Será muito tarde para voar??? afinal tenho 40 anos, ja não sou mais aquela belezinha que eu era,etc,etc...

E a coragem de largar as culpas de lado, ter certeza das atitudes que tomei,enfim...Felizmente minhas aventuras pela vida me ensinaram a transformar esse frio em energia para fazer acontecer.


As dores em força para emergir com tudo.


Admiro o dom que sempre tive de transformar as dificuldades em trampolim para ir ainda mais longe. Nisso eu não consigo deixar meu ego de lado, porque é o que me impulsiona.

Para mim as dificuldades são como GRANDES TESTES de resistência, me saio muito mais fortalecida. É a minha veia de guerreira, que veio na bagagem para esta vida.

Vejo as tolices que as pessoas vem me dizer, algumas que querem ver se eu estou sofrendo, as vezes nem se dão conta; tem aquelas também que sentem prazer em te machucar e te levar as ultimas consequencias (tenho que compreende-las,ainda são canários)!


Mas sei que faltava, eu me desprender de situações que eu mesma criei e sair feliz da vida sabendo que eu CONSIGO SIM...que não dói mesmo!QUE É TUDO UMA ESCOLHA MINHA!
Porque deveria eu me sentir REJEITADA?
Porque deveria eu me sentir Diminuida?
Sozinha,triste...enfim!
Olha o tamanho das minhas ASAS!!!

Em seguida vêm outros canários (e até alguns sabiás meio castigados) dizendo: cuidado! Lá fora é perigoso demais! Todos dizem:não deve estar sendo fácil!!!


Mas outros sabiás, experientes e GRANDES VOADORES, me acolhem alegremente. Aliás,tenho cruzado com muitos voadores habeis e isto é gratificante. Então compreendo que não estou sozinha não,que aqueles "lapsos" de pensamentos que eu tinha antes estavam corretos eu só não sabia o que fazer com eles.

Então compreendo: É um caminho sem volta, não tenho escolha. Meu destino é e sempre foi voar e tenho que respeitar aqueles canários que ainda não enxergaram isto mas um dia irão sem duvidas.No tempo deles.


Levei 40 anos para preparar o vôo, aprendendo a navegar, a planejar, a surpreender, a observar, a criticar, a inspirar. Reforcei as asas.Cada tombo que levei serviu para criar aquele tipo de defesa da pele(couraça) e agora estou prontinha...para alçar voo.


Livre da projeção das pessoas, da projeção dos meus pais, das minhas proprias projeções erradas!


É muito simples e eu nem me dava conta!


E fiz minha cabeça.Dentro de segundos lanço-me no espaço.


Inebriada com a liberdade é provável que eu dê umas cabeçadas nos muros. Ou trombe com outros pássaros. Quem sabe passarei fome e frio até aprender a encontrar comida e abrigo.
Mas de uma coisa tenho certeza: quando eu estiver em pleno vôo, lá no alto, olhando o horizonte e as copas das árvores com o vento no rosto e o calor do sol em minhas costas, sei o que passará por minha cabeça:
– Preciso contar pros canários!
Uma criação de Érico Veríssimo,Luciano Pires e adaptação de Lora

Nenhum comentário:

Postar um comentário