quinta-feira, 22 de outubro de 2009

As Cores da Minha Poesia


Desde criança faço musica e escrevo poesia
Talvez porque ao invez de chorar quando vim ao mundo
Ri gostosamente observando tudo
A parteira preocupada deu-me um tapa
Para ver se eu respirava e estava bem
Mas ao contrario do que esperavam
Não chorei e continuei calada
Só não entendi o porque daquela dor que senti
recem chegada a um lugar tão bonito,
Tão cheio de luz!
Quiseram me fazer acreditar que chorando
eu seria mais presente
resolvi contestar!
Durante minha infancia gostava de observar
e meu ceus eram sempre azuis
minhas estrelas exuberantes
minhas cores sem igual
e minha poesia solta.
Conforme fui crescendo
muita gente quis me fazer acreditar
que minha vida tinha que ser triste
que meu ceu tinha que ser sem cor
que minhas estrelas se apagariam um dia
e que minha poesia não duraria para sempre
que teria que ser melancolica e triste!
Estranho que quase me deixei levar
por este pensamento medonho
mas a força da minha juventude
me fez contestar
e vivi aventuras
me soltei no mundo
e vi mais cores e tive muitos amores
e minha poesia encheu-se de vida!
não chamo a isso de saudade
chamo de vivências
pois todas elas contenho
estão dentro de mim!
Todas as loucuras que fiz
e todas as vezes que ousei
Agora dizem-me ser experiencia
que carrego para poder contar em versos!
Então chega-me a idade
e muita gente quer me fazer acreditar
que meus sonhos acabaram
que ja não posso mais ousar
que meu tempo passou e agora meus versos se calam!
como poeira jogada ao vento
ou simplesmente pétalas caidas ao chão
Mas o estranho é que eu enxergo mais
enxergo minha poesia concreta,profunda
cheia da beleza que carrego
e percebo finalmente que ela não vem deste mundo
ela vem de dentro de mim
dessa minha alma desprendida,leve
alegre e brincalhona.
Disseram-me também
que sou uma sonhadora incorrigivel
Acabei concluindo então que todas as coisas que construi surgiram de meu sonhos:
meus filhos que um dia foram sonhos
meu companheiro
meu trabalho e meus versos.
Todos sonhos que querem me fazer acreditar que são ilusões,
me fazer parar de fazer versos,
de colorir meu mundo e de sonhar que a vida é bela!
Porém agora consigo,rir de mim mesma,falar sem ter medo,
ousar sem esperar por opiniões,querer sem esperar nada em troca,
sentir sem se cobrar, se lançar sem medo pois me sinto mais viva do que nunca,mais inteira do que nunca!
Sem alguns pedaços que arrancaram de mim,é claro
Mas inteira nesta vida belíssima,nesta vida sem igual!
Juntei os caquinhos e fiz um caleidoscópio,agora tenho vários prismas
Posso olhar a vida por onde eu quiser,
ir por onde eu quiser,
Pois ela só pertence a mim,
Só pertence a mim!

Um comentário: