terça-feira, 29 de maio de 2012

A Ponta do Iceberg

E desculpem-me as outras dezenas de milhares de mortos, mas há coisas para as quais, para mim, os sinos dobram com mais intensidade do que quando há um terramoto na China ou um ciclone na Birmânia...(posted by Carlos Sampaio)

“Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do gênero humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti."
(De Jonh Donne e utilizado por E. Hemingway para título do seu famoso romance.)

















Du’a Khalil Aswad: vítima da religião

Aconteceu em 07 de Abril de 2007.
Uma garota adolescente deitada no chão em uma poça do seu próprio sangue.
Sua saia removida para aumentar sua humilhação.
Em uma outra imagem, ela está de lado, sua cara desfigurada e ensanguentada, praticamente irreconhecível.O bloco de concreto utilizado para esmagar seu rosto fica caido á seu lado.Du’a Khalil Aswad foi espancada, chutada e apedrejada por 30 minutos nas mãos de linchadores até que um dos seus agressores arremessou um golpe fatal.
O assasinato aconteceu em público, sendo visto por centenas de homens comemorando e gritando. Qual o crime de Du’a?
Ter se apaixonado por um garoto Sunni.A familia dela pratica a religião Yezidi. Os Sunnis e os Yezidis se odeiam..As imagens aterrorizantes, que expressam o real sentido da religião, foram capturadas por alguns observadores e participantes que acharam que seria conveniente gravar estas cenas de barbarie. A imagens foram capturadas em uma número de celulares e posteriormente publicadas na internet.Não tenho nenhum prazer em publicar estas imagens aqui, mas acredito que quanto mais divulgado este tipo de informação, maiores as chances de que isso não ocorra novamente.Alguns observadores indicam que há um número crescente de “assasinatos de honra” ocorrendo no Iraq desde a queda de Saddam Hussein.
Ela vivia com a sua família na cidade de Bashika, perto de Mosul, sua família não era nem rica nem podbre.Acredita-se que ela conheceu seu namorado Sunni vários meses antes.Du’a e seu namorado sabiam que seu amor era proibido, mas como tantos outros adolescentes antes deles, como em Romeu e Julieta, eles não conseguiram se controlar.Por algum tempo eles se econtraram em segredo, foi numa destes encontros secretos que eles tiveram a idéia de fugirem juntos.Não está claro se a atitude desesperada foi resultado de não ter recebido permissão para casar, ou se eles decidiram fugir sabendo que nunca tal permissão seria concedida.Alguns grupos de Mussulmanos afirmam que Du’a se converteu ao Islam brevemente antes de seu assasinato, de acordo com outras fontes, seu namorado nega.Eles fugiram juntos para um local em Bashika, a família da garota alertou a polícia e Du’a e seu namorado foram encontrados poucos dias depois.Du’a foi capturada e colocada na cadeia.Alguns dias mais tarde, a polícia aparentemente recebeu confirmações do líder da tribo dela que a garota não seria machucada, a Sra. Nammi (uma ativista pelos direitos das mulheres Kurdi) acredita ser o tio de Du’a o líder desta tribo.
O que aconteceu depois é conflitante entre as reportagens, uns afirmam que a massa de linchadores invadiram a casa do lider da tribo, arrastaram Du’a e a mataram.A Sra. Nammi porém diz que tem a informação de que foi o lider da tribo que traiu sua sobrinha, pois aos olhos dele, ela teria feito algo inadmissível, a massa de linchadores invadiu a casa e Du’a foi arrastada de lá e assasinada.A honra da família havia sido manchada, no momento em que Du’a havia sido colocada naquela casa, o seu destino já estava selado.Em 7 de abril, Du’a foi trazida pra fora da casa em uma chave de braço para encarar a massa de linchadores, centenas de homens esperavam por ela, a atmosfera do eventos é dito ter sido igual á de um evento de esporte. Não havia nenhuma mulher entre as pessoas.No video, os gritos de Du’a podem ser ouvidos enquanto ela é arrastada no chão. Mais humilhação, as partes de baixo de sua roupa são arrancadas.Instintivamente, ela tenta se cobrir, mas somente mais tarde um pedaço de pano é jogado sobre ela.Ela é cercada por uma enorme quantidade de homens, disputando por um melhor local para visualizar o assasinato ritualista. Aproximadamente nove homens são identificados como os agressores, e é dito que entre eles há membros da família da garota.
É um espetáculo profundamente perturbador. Um homem chuta ela com muita força no meio das pernas enquanto ela grita em agonia. Du’a tenta se levantar, mas alguem joga um bloco de concreto no seu rosto. Outro homem pisa no seu rosto, alguem chuta ela no estomago. Oficiais de polícia assistem sem fazer nada apreciando o espetáculo junto com os demais.Enquanto isso, outros gravam tudo em seus celulares.Após meia hora de selvageria, Du’a está finalmente morta. Em uma humiliação final, um homem tenta levantar ela, mas deixa ela cair, e seu corpo ensanguentado e rolado com o rosto para o chão na sua própria poça de sangue. A honra da familíla está restaurada.Du’a foi enterrada em uma cova sem nome. Mais tarde, afirma Sra. Nammi, seu corpo foi exumado por autoridades Kurdi, que tem autonomia na região, e enviado a instituto medico legal em Monsul. Lá seu corpo foi examinado para descobrir se ela era virgem ou não, e depois retornado ao cemiterio Sheikh Shams.Os legistas constataram que Du’a era virgem e portanto inocente do “crime” que foi punida. Porém, a Sra.Nammi acredita que apenas o simples fato dela ter fugido com seu namorado Sunni teria suficiente para ela ter sido sentenciada á morte.

O que dizer sobre tudo isto?
D'ua representa apenas a ponta do iceberg da LOUCURA INSTITUIDA, da COVARDIA, do DESNORTEIO de vários homens perdidos SEM RUMO.
Seria necessário tantos homens,uma multidão para massacrar uma frágil adolescente?
A atitude de D'ua foi tão crucial para desencadear essa revolução em massa?
Ou ela representa apenas uma válvula de escape do descompasso, da insanidade que vivem esses povos,desesperados,acuados dentro de seus princípios avassaladores e desumanos.
O sacrifício de vidas serão sempre necessárias para chamar a atenção do mundo enquanto não se mostrar a luz e o caminho.
Enquanto isto assistimos,impotentes ao horror da IGNORÂNCIA  QUE CONTAMINA O MUNDO!
siga o site e veja as demais vitimas de crimes de honra:
http://www.stophonourkillings.com/?q=nn/node/4419



D'UA  - DE DEUS!

D'UA significa de Deus, ÁRVORE DE DEUS

E onde estava este Deus de Moisés e Abraão e de todos os Profetas quando fora ela sentenciada a morte?
Com um julgamento rápido e sem direito a defesa, em nome deste mesmo Deus fora para o abate a ovelha divina.
Servirá ao Mundo este sacrifíco? O sacrifício da inocência?
O que significa aos olhos dos homens? Aos olhos da humanidade?
A Árvore Divina caída ao chão! A frágil árvore!
Que foi forte o suficiente para causar um impacto na sua queda, para marcar o mundo.
Que precisou de uma multidão de fortes homens para derrubá-la.
Que precisou suportar a ira sobre si mesma.
Silenciou imersa em sangue.
Silenciou debaixo dos pés dos ímpios e duros de coração.
Calou-se pelas mãos dos insanos e perdidos.
Dua de Deus...o Deus que deixou-a sozinha na multidão.Que lhe deu o pior destino.
Não poderá mais balançar seus galhos ao vento ou sentir o sol forte em seus ramos.
Nem mesmo a terra húmida sob seus pés.Pois abaixo desta terra está.
Calada e logo mais esquecida.
Seu duro castigo imposto: pagar pelos erros de todos, pagar pela SOMBRA DOS HOMENS.
Pagar o preço da vida, a maior dádiva que esse Deus dos Homens pode conceder.
O mesmo Deus piedoso e ao mesmo tempo tão impiedoso.
Que dá o direito a vida e torna suas criaturas aptas a disperdiçá-la.
O Deus que criou estes seres duais.Feitos de bem e de mal à mesma medida.
Tristes filhos da ignorância aqueles que atiram todas as pedras.
Que golpeam todos os corpos.
Corações enegrecidos que vagarão pela Terra sempre sombrios.
Mãos marcadas de sangue para sempre.
Consciencias perturbadas ao longo do tempo que durarem suas existências fúnebres.
Mas não podemos negar que existem os abutres.
Não podemos negar que abutres um dia serão andorinhas.
Faz parte do plano Divino(dizem alguns)
O pior de tudo é entendermos que os abutres são criados por nós mesmos.
O pior é sabermos que contemos também estas sombras animais e lutamos contra elas.
A ignorância latente,pronta para vir a tona.
Me pergunto sempre: E a compaixão?
Como podem alguns esquecerem-se dela?
Como pode o Deus da Compaixão ser tão ausente algumas vezes?
Como pode?
Como pode abandonar o pardal nas mãos dos abutres?
Como pode?

Nenhum comentário:

Postar um comentário