quarta-feira, 31 de março de 2010

PÁSCOA

PÊSSACH /REVIVER

Shemot – No contexto da primavera ( 1290. a..e.c? ) Israel saiu do Egito, alcançando a sua liberdade, se renovando como semente bendita, de onde deveria vir o Mashiach Yeshua, para proporcionar uma liberdade eterna a todos os homens. Sabemos que esta história bendita acontece segundo a Torá no primeiro dos meses, que Israel deveria observar a cada ano: Pêssach – Páscoa . “ Este mês seja para vós principio dos meses; seja ele para vós o primeiro dos meses do ano (12 :2 )”. Instruções seguem sobre este acontecimento: “...um cordeiro para cada família ..., páscoa ( Pêssach )
Israel inaugura seu percurso como nação, sendo renovada a descendência de Abrahão, deixando a escravidão para ser um povo livre. Na Brit Chadashá vemos que em Yeshua Pêssach assume a sua ultima forma e definitiva: “ ... pois também Mashiach, nosso Cordeiro Pascal, foi imolado (1º Corintios 5 :7 ), ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados ( Efésios 2:1 )”.Vemos que Pêssach se reveste do sentido de vida e purificação . Vemos dois símbolos neste episódio pascal: o cordeiro e os pães ázimos.
A essência do cordeiro está no sangue, que vivo, uma vez derramado morre; mas a essência do pão está no trigo, que uma vez seu grão morrendo vive . O cordeiro vivo vai morrer, e o trigo que morre vai viver.

Estes dias intermediários de Pêssach ( Chol Há moed ) que nos ensinam a abstinência da fermentação “... sete dias, pães ázimos serão comidos (Bamidbar 28 :17 )”deve nos falar de um tempo de plenitude em nossas vidas, para alcançar alvos maiores . Isto deve nos indicar uma caminhada em que possamos está revivendo a pura essência da fé.
Uma páscoa que eu não conhecia – A italiana ( romana ) no dia dedicado ao sol, posteriormente, chama – se domingo; os nicenos fixam a chamada páscoa cristã ( 325 – d.C ) os do oriente ( Igrejas da Ásia ) contestam, a data do sacrifício de Yeshua foi em 14 de Nissan ( o sétimo mês do calendário civil hebreu, o primeiro do calendário religioso ). Páscoa agora é dos cristão e não judeus, que decisão é essa?
Cordeiro e pães ázimos, por coelho e ovos de chocolate – Mais de onde vem esse coelho mesmo? A Sociedade São Vicente de Paulo (instituição católica) diz: “Era símbolo da fertilidade no Egito”.

Como devo dizer páscoa em inglês “ Easter ou eostre ? – Se eu disser Eostre ou ostera complica, parece semelhantes, mais o que isto tema ver ?

Há uma lenda Nórdica ( germânica ) que diz o seguinte : “ Que a deusa Eostre ( ou Ostera ) que tinha uma especial afeição as crianças. Um dia ela estava sentada em um jardim com as suas amadas crianças, quando um amável pássaro voou sobre eles e pousou na mão da deusa. Ao dizer algumas palavras mágicas , o pássaro se transformou no seu animal favorito, uma lebre ( um coelho )... segundo a lenda a lebre não se sentiu feliz com a transformação, porque não podia cantar e voar ( somente pular e roer). Sobre o apelo das crianças ela tentou reverter o encantamento e não conseguiu, pois no inverno seus poderes diminuíam. Quando chegou a primavera no apogeu de seus poderes reverteu a magia. O pássaro agradecido, botou ovos em homenagem a deusa ... em celebração a sua liberdade e as crianças que tinham pedido a Eostre que lhe concedesse sua forma original, o pássaro transformado em lebre novamente pintou os ovos e os distribuiu pelo mundo”.(1)

A tradição do coelho da páscoa foi trazida tanto para América, como para o Brasil por imigrantes alemães, na América em meados de 1700, e no Brasil entre 1913 e 1920.
É uma deusa anglo saxã, teutônica , da primavera, da ressurreição e renascimento. Os povos nórdicos comemoravam o seu festival no dia 30 de março . Houve uma associação da páscoa cristã com as festividades pagãs desta deusa (2).

Os povos pagãos da Europa celebravam Ostera , a deusa da primavera, simbolizada por uma mulher que segurava um ovo em sua mão e observava um coelho, representante da fertilidade, pulando alegremente ao redor de seus pés .


Autor: Shaliach Roe Icaro

Nenhum comentário:

Postar um comentário