sábado, 5 de setembro de 2009

Lá do Planeta que eu venho! (esta é pra você Mana!)


Lá no planeta de onde eu venho, aprendemos, desde que saímos do ovo, que nossa sobrevivência depende, basicamente, de nós mesmos mas que também não existimos em completa felicidade sem a interação com o outro.
Há regras sociais, um sistema de governo que cuida do bem estar de todos, já nascemos sabendo de nossas obrigações e deveres.
Lá fazemos tudo para conter a poluição.
Não pensamos em conquistas e guerras, pois respeitamos a cultura e as riquezas de nossos irmãos.
Todos tem direitos iguais e acesso a todos os bens,portanto não existe a pobreza, a miséria.
O meu planeta é fonte de vida, portanto cuidamos e estimulamos a todos os tipos de seres. Cuidamos dos mais frágeis e respeitamos as crianças e os animais.
Também lá não existe a mentira, pois todos cumprem com sua palavra e zelam pelo bem estar do outro.
Ninguém engana ninguém para tirar vantagem de nenhum tipo.
Lá no meu planeta também, uns estimulam os outros a crescerem e melhorarem sua condição de existência e seu amor próprio.
Ninguém precisa colocar trancas nas portas de suas casas, nem andar armados, pois todos confiam uns nos outros.
Lá também, tem escolas que estão ensinando tudo o que as crianças e os jovens precisam saber, para melhorarem a qualidade de vida, para entenderem nossa história, para cultivarem nossos costumes, nossa cultura, para aprenderem a usar a tecnologia com ética, com respeito às leis da natureza, enfim, para crescerem e transformarem seu mundo - nosso mundo - num exemplo de ordem e progresso humano!" Disse uma vez um E.T.(em visita à Terra após ter encontrado um mendigo numa rua deserta).

Então o mendigo respondeu:
"Estamos dispostos a mudar. Não gostaria de ficar sem ver as coisas boas que ainda sobraram no mundo!"


"Ainda sobraram coisas boas neste mundo deteriorado?!" Admirou-se o E.T.
"Eu, por outro lado, já faço parte de outra divisão: a de desintegração. Estou aqui para a última tentativa de acordo com sua raça, antes da anulação do planeta!"


O mendigo varreu o horizonte com um olhar perdido, meio sorriso nos lábios, e começou a falar baixinho: "Vê aquelas crianças brincando ali perto do lago?
Para eles, o mundo está colorido com todas as tintas do arco-íris. E o tempo que virá, será o berço de todo amor que está brotando nos seus corações!"
"...E você tem coragem de falar em destruição? Destruir toda essa esperança plenamente alcançável?!

Crônica 155 - "O E.T. e o mendigo"-Mauricio de Souza e adaptação de Lora

Um comentário:

  1. Para muitos pura utopia, para alguns uma realidade a construir dia após dia, por mim, por ti, por eles, por Nós. :)

    Estamos a viver sem dúvida a fase mais complicada dessa utopia ou realidade, espero e acredito que mais uma vez, num dos nossos piores momentos, o consigamos superar com a mestria e brilhantismo com que o fizemos no passado, mas desta vez que passemos a um nível superior como Seres, não apenas deste mundo, mas Universo. :)

    Obrigado pelo texto. Tudo de bom! Felicidades ;-)

    ResponderExcluir