quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Planejamento Urbano,cadê você??


Vou começar a discussão de hoje com uma frase do Professor,Psicólogo e Escritor Paulo César Nascimento:
- “Florianópolis é inviável para pedestres!”
Dando gancho nesta frase,aí vai meu desabafo de hoje,esperando sempre elucidar ou mostrar aquela luz no fim do túnel...sem precisar construir o túnel!
Mesmo com um apelo natureba, sendo a Ilha uma Capital que oferece uma boa qualidade de vida aos seus cidadãos e é cercada de belezas naturais,etc,etc...
vemos que a nossa Capital esta sempre centrada em descentralizar o transito,criar novas possibilidades de acabar com os congestionamentos que estamos presenciando e conseguir desafogar o intenso transito Ilha-Continente.
Vamos fazer como “Jack o Estripador” e analisar esta situação “por partes!”
Temos várias situações acerca do Planejamento Urbano de Florianópolis,muitas delas esbarram na questão da geografia da cidade,na questão enfim de ser uma Ilha.Temos pontos positivos e negativos nesta abordagem.Sabemos que a Ilha tem problemas concretos e podemos nos servir apenas de “remendar”estas situações com medidas transitórias e paliativas ou partir para ações concretas e começar a observar o que realmente surtiria efeito para solucionar o caos urbano que com certeza viveremos daqui a algum tempo.
Quando digo “medidas concretas”,digo aquelas que realmente beneficiem a cidade,beneficiem os seus cidadãos e por conseguinte melhorem realmente e definitivamente a qualidade de vida das pessoas e tornem Florianópolis um exemplo a ser seguido.Não adianta copiar modelos errados, para que isto se torne uma realidade,temos que criar modelos para serem copiados.Dentro da nossa realidade geográfica se faz necessário compreender que não temos espaço físico territorial para expandir grandes vias urbanas pois somos uma Ilha mas o nosso principal problema hoje é que temos a questão do trafego intenso e do aumento populacional visto em toda a Grande Florianopolis. Isto é uma realidade não somente nossa mas de muitas capitais brasileiras.Esta realidade não poderá ser contida mas terá que ser contornada com inteligência e ações eficientes.Não adianta falar que “quem vem de fora” é que estraga a cidade e que os manezinhos sempre conduziram bem o desenvolvimento dela.
Temos um perfil turístico,belezas naturais e geografia limitadora.Mas isto não impede que mais e mais pessoas queiram usufruir dela.Mas não temos estrutura para isto e estamos sempre sentindo na pele e no bolso esta condição.Mega empreendimentos geradores de empregos para mim não resolvem a situação pois precisamos antes dar infra-estrutura básica para sair do buraco negro da ignorância e depois poder ostentar a bandeira da qualidade de vida.
Tanto se fala em “qualidade de vida”.Uma cidade eficiente tem que apresentar muitos aspectos,não vou me estender a todos eles mas vou ficar no que interessa ao assunto de hoje.
Indicio de progresso de uma cidade não é igual o numero de shoppings centers que ela possui mas sim o “TRANSPORTE PUBLICO DE QUALIDADE” e quando falo em qualidade,falo em eficiência,tecnologia e custo.
Temos que procurar dinamizar o transporte publico e que este seja acessível aos cidadãos.Que precisemos para isto copiar modelos de outros paises?Isto sim merece ser copiado.Precisamos de pessoas competentes que possam nos apresentar essas soluções,se for preciso importa-las seja lá de onde for(até lá do Alaska),que assim seja.
Também temos que criar uma nova consciência nos cidadãos que ate então se apresentam imparciais nesta discussão:estamos com sérios problemas de planejamento urbano mas temos que encontrar uma solução muito em breve.
Pensemos pois em investir os recursos públicos com inteligência.Construir pontes e viadutos para canalizar o trafego excessivo nada mais é do que administrar uma aspirina a quem tem um câncer generalizado.São medidas paliativas,é jogar dinheiro publico no lixo.Vamos buscar e cobrar de nossos dirigentes políticos medidas mais abrangentes.Pensemos juntos em :
Criar um novo meio de transporte eficiente e de custo reduzido,quem sabe o transporte marítimo,mesmo com todos os pontos polêmicos que a discussão tem gerado?Talvez seja isto que florianópolis precise.aproveitar sua geografia com inteligência.Pode ter seu lado negativo??Depende,se aplicado com planejamento e estratégia eficazes !??
Criar uma nova consciência nos cidadãos: é preciso sim aprender a utilizar o transporte publico; deixar seu carro na garagem e usufruir do que deve ser oferecido aos cidadãos e cada vez melhor apresentado.O desenvolvimento e eficiência do transporte publico é espelho do desenvolvimento de uma cidade/país.Vamos abrir nossa mentalidade para isto!
Criar novas praças,novos parques,calçadões e vias para pedestres.A população de baixa renda também precisa de lazer.Chega de “apartheit social!”Quando você se isola da sua cidade,está automaticamente abrindo espaço para a violencia urbana. Aos riquinhos do momento e aos novos ricos emergentes o meu recadinho:”A exclusão social gera violência, e a violência atinge todas as camadas sociais!”
Prefeitura municipal diga não à especulação imobiliária e sim a criação de áreas publicas.O desenho urbano é fundamental para a eficiência das diferentes funções da cidade!Isto sim é qualidade de vida!
Vamos respeitar a nossa cultura,o nosso patrimônio ambiental,fazendo valer as leis e fiscalizando efetivamente.
Onde se cria espaço de aproveitamento (lazer/circulação)publico se gera cidadãos mais felizes,menos doentes e menos neuroticos.Isto sim é qualidade de vida!
Políticos da capital:chega de obras faraônicas e inexpressivas para engrandecer o currículo pessoal.É hora de pensar no que realmente engrandece o currículo: OBJETIVO+ESTRATÉGIA +AÇÃO=RESULTADOS
É o que estamos esperando,depois não adianta reclamar!
Que esta minha utopia possa virar um pedaço de realidade com gosto de justiça social!

Nenhum comentário:

Postar um comentário