quarta-feira, 19 de agosto de 2009

PARA PENSAR: EPIDEMIAS E PANDEMONIAS


Temos medo de nos infectarmos com esta nova gripe, temos medo que se torne incontrolável, que nos contamine e contamine nossos filhos.
Há um momento apocalíptico no ar...!!!
Mas vou lhe dar a boa ou má notícia: Este é apenas um de centenas de vírus que você, eu e muitos outros seres entram e vão entrar em contato. Mas com a maravilhosa máquina que é nosso organismo temos condições de desenvolver anti-corpos para nos defendermos deste e de outros vírus que existem por aí e de outros que é claro, virão.
A diferença é que este já foi identificado “Que Bom”!
Que bom que nesta hora existe uma “equipe” de cientistas trabalhando para o conhecimento dele, já desenvolveram vacina e tudo o mais.
Que maravilha a “inteligência” do SER HUMANO!
Ops, o que eu falei???HUMANO...
É, mas você vai argumentar comigo:”Este Mata!”
E eu vou te responder: ”Nossa, é mesmo! Eu sei disso, já ouvi falar, já vi no noticiário da TV e nos jornais. Também me deu certo “receio”.
Mas prefiro “ACREDITAR” que este tal H1N1 está perdendo sua força. Porque já existe vacina pra ele, a forma com a qual ele irá me afetar (se afetar) será talvez mais branda do que infelizmente nos primeiros casos.
Enquanto isto, vou estar por aí, alegre e sorridente,liberando muita serotonina no meu organismo para com isso melhorar minha imunidade, vou estar no meu trabalho, na padaria da esquina, na minha caminhada diária.Vou estar por ai espalhando sorrisos e o meu bom dia a todos. Àqueles que estão resfriados, àqueles que não estão.
Àquele médico que esta no plantão há 12 horas sem ao menos ter tido tempo de comer,
aquela enfermeira do posto de saúde, a estas pessoas tão legais que estão ali também se arriscando por nós.
Mas que engraçado, eles também tem uma família, tem filhos pequenos. Mas eles estão ali, cuidando de nós.Dando sua prova de AMOR! e cuidando do bem maior do SER HUMANO a – VIDA - !
Creio que hoje estamos vivendo sim, a pior de todas as epidemias, a falta de AMOR.
AMOR AO PROXIMO. E esta sim, mata muito mais do que o Vírus H1N1. Essa mata porque segrega, porque isola o indivíduo, porque discrimina, porque não é – HUMANA.
Porque estamos tão envolvidos e preocupados conosco mesmos, com nossos projetos de VIDA, que esquecemos de tudo o que se passa ao nosso redor.
Somos bombardeados diariamente sobre diversas noticias, toda qualidade de informação e não sabemos nem o que fazer com elas, acabamos perdendo a referencia e paramos de PENSAR!
Ontem me chamou a atenção uma noticia que li a respeito da quantidade de abortos no Brasil, NOSSO país e li a triste informação que as estatísticas apontam para mais de um milhão ( EU FALEI UM MILHÃO)de abortos por ano e cerca de 200.000 mortes maternas por abortos mal sucedidos. Então comecei a colocar minha cabeça loira para pensar:” se,no mundo todo tivemos cerca de 2.800 mortes até agora, no Brasil as ultimas estatísticas nos dão 368 mortes pelo vírus H1N1.
Estamos assustados,não...estamos em pânico mesmo!
Mas a quantidade de VIDAS perdidas com o aborto não nos assusta?
É, infelizmente estamos preocupados demais conosco mesmos para nos preocuparmos com a REALIDADE. E ela esta bem debaixo nos nossos narizes, cheios de secreção.
Vejo a ONU e lideranças políticas reunidas para tomar decisões de como será a melhor conduta para as pessoas hoje e para que não se dissemine o tal vírus. Mas quero ver também estas lideranças reunidas para discutir uma política de controle de natalidade eficiente, quero ver as lideranças reunidas para discutir a qualidade de vida das pessoas, quero ver as lideranças reunidas para estimular a promoção humana, a capacitação dos indivíduos, a criação de novos parques e praças, a interação e o convívio das pessoas.
Porque é importante saber para ONDE a Humanidade esta caminhando e saber também que é responsabilidade de todos nós!
Porque este caminho que estamos presenciando hoje, sem participar, é com certeza o pior de todos! Já vimos que da maneira que estamos sendo governados não chegaremos a lugar algum!

Lora

Nenhum comentário:

Postar um comentário